quinta-feira, 23 de junho de 2011

Festival de MPB no Dom Adriano

    Foi no dia 14 de junho deste ano (2011). O festival é parte de um projeto de MPB nas escolas. O turno da manhã teve suas apresentações e o da tarde idem no mesmo dia. Cada professor ficou responsável por um estilo de música dentro da MPB. No turno da tarde, tivemos os trabalhos apresentados pelas turmas das professoras Heide (rock), Elisângela (samba), Rosy (Bossa Nova) e Professora Adriana Igrejas, euzinha, com Sertanejo.
   Posso falar melhor aqui sobre o projeto da minha turma: 1001, Sertanejo.  Abaixo, encontra-se o roteiro de como apresentamos os trabalhos desses alunos e vocês podem conferir algumas fotos do evento.



  Bem, o gênero de mpb da 1001 é sertanejo. Eu sei o que vocês devem estar pensando... brega... Quando eu comuniquei isso à turma, eles também tiveram essa reação. Fala sério, professora... Mas, conforme fui tocando algumas músicas para eles escolherem, fiquei surpresa ao ver que eles sabiam cantar os refrões... até das mais antigas...
     É verdade que o Sertanejo tem sido muito discriminado, chamado de música de corno, brega  etc. No entanto o sertanejo tanto pode falar de amor com suas letras melosas e simples quanto cantar a terra, os bichos e as plantações e a vida do campo. E seja por mexer com nossas origens, uma saudade de uma vida pacata que a gente da cidade nunca levou, ou pela herança rural de nosso país, ou porque sempre tem na família alguém que veio do interior, o fato é que ao ouvir uma música sertaneja, a gente sente um gostinho da terra, das nossas raízes, um orgulho meio caboclo, meio caipira de ser brasileiro, porque o Brasil também é isso. Mesmo morando na cidade a vida inteira, afirmando ser roqueiro e moderno, quem nunca se pegou cantarolando um trecho de uma música sertaneja, seja “É o amor”, “Pense em mim”, “Amanheceu, peguei a viola, botei na sacola e fui viajar”, ou “ Toda vez que eu viajava pela estrada de Ouro Fino, ou  mesmo sem ser católico já cantou “Sou caipira, pira, porá, nossa Senhora de Aparecida...”, ou Pinga ni mim...
(O MAIS LEGAL É QUE QUANDO CANTEI OS TRECHOS DE MÚSICA ACIMA NA APRESENTAÇÃO, TODOS CANTARAM COMIGO. FOI MUITO LEGAL!)
      Mais recentemente, no entanto, o Sertanejo tem vencido certos preconceitos e apareceu com um novo subgênero: o Sertanejo Universitário, e tem agradado às novas gerações urbanas, que acabam assim, também descobrindo a antiga música caipira e derrubando a discriminação. Esse novo Sertanejo está aí com Luan Santana, Michel Teló, Fernando e Sorocaba, Victor e Léo, Jorge e Mateus e mais uma infinidade de duplas.
       Então, quero afirmar que a Música Sertaneja é MPB. É música popular brasileira e merece o seu lugar como tal. Vamos dar início às apresentações da turma 1001, com um grito que já se tornou famoso e simbólico no Brasil:
       E O ALUNO  GEOVANI GRITOU – Segura, peão!


1) Os alunos: Débora Carvalho, Natasha da Silva, Milena Barcellos, Ana Beatriz Melo, Bruna Silva, Breno Henrique de Souza, Wellem Leão e Dalila Silva prepararam uma apresentação de slides para vocês. Na tela (DATA SHOW)
(AQUI FOI INTERESSANTE VER A RESPOSTA DOS ALUNOS AOS CANTORES E DUPLAS EXIBIDOS NA APRESENTAÇÃO, COM MUITOS GRITOS PARA LUAN SANTANA.)

2. Vídeos.

    Os alunos Cleiton Moura da Silva  e Bruno Eduardo de Moura prepararam uma seleção de vídeos representativos da música sertaneja:

   DÉBORA CARVALHO LEU:

    As novelas brasileiras têm uma tradição de novela rural. A novela rural sempre popularizou os artistas e sua música sertaneja. Assim podemos ver Daniel em Paraíso, no papel que foi representado por Sérgio Reis na primeira versão da novela. Também podemos ver Sérgio Reis e Almir Sater no papel de violeiros em Pantanal. (Passaram os vídeos).

     Dois artistas do gênero tiveram suas vidas levadas para as telas de cinema. Trata-se da dupla Zezé di Camargo e Luciano no filme – Dois filhos de Francisco. (passa o vídeo).

    
Uma das mais tradicionais canções rurais é “Menino da Porteira”, mais conhecida na voz de Sérgio Reis. Menino da Porteira, assim como muitas músicas sertanejas, conta uma história. Essa história já foi contada no cinema duas vezes, com sua mais recente produção estrelada pelo cantor Daniel. Segue trecho de Menino da Porteira: (passa o vídeo).

    
Os shows de sertanejo universitário atualmente têm levado milhões de pessoas ao delírio cantando suas letras românticas ou bem humoradas. Vamos assistir aos vídeos que comprovam esse fenômeno. (passam os vídeos)  (AQUI  É INTERESSANTE DIZER QUE DURANTE A EXIBIÇÃO DO VÍDEO DE LUAN SANTANTA CANTANDO SEU NOVO SUCESSO A ESCOLA VEIO ABAIXO, TAMANHA FOI A TIETAGEM E GRITARIA, PARA DEPOIS SE TORNAR UM CORO EM QUE TODOS CANTAVAM JUNTOS A CANÇÃO.)

3) Show ao vivo, apresentação de Isaías.




    Agora, como a ideia é a de um festival de MPB. Aqui temos os astros da 1001. A dupla Thaís e Jennifer cantando com Geovani na guitarra.
    A IDÉIA ERA QUE ELES CANTASSEM ALGO TRADICIONAL E ALGO NOVO. A TURMA HAVIA ESCOLHIDO "PANELA VELHA" COMO TRADICIONAL E "BORBOLETAS" E "AMIGO APAIXONADO" DE VICTOR E LEO COMO ALGO NOVO. NO ENTANTO, GEOVANI ESTAVA COM O DEDO MACHUCADO E UM POUCO NERVOSO E ACABOU SÓ TOCANDO BORBOLETAS... QUE PENA...


4) Apresentação de Dança

   Junto com a música sertaneja e a tradição de quadrilhas e festas juninas, também por influência da música coutry e folk norte americana, o Brasil também têm sertanejo dançante. É a dança sertaneja ou country. Então vamos receber os alunos: Ingrid Cristina Caldas, Elayne de Souza Cruz, Carlos Gabriel Ferreira, Bruno Arruda, Nathalia Gomes, Jennifer dos Santos, Thais Andrade, Geovani, Isaías e Isabel Silva
 da turma 1001 para a apresentação de dança sertaneja. Vamos aplaudir e dar o espaço, por favor...

TIVEMOS PROBLEMAS TÉCNICOS E NA PRIMEIRA VEZ EM QUE DANÇARAM, O SOM ESTAVA MAIS ALTO QUE AS VOZES DA MÚSICA, O QUE PREJUDICOU A MARCAÇÃO DOS PASSOS. DEPOIS COM O SOM CONSERTADO, A TURMA PÔDE MOSTRAR TODO O SEU TALENTO...

                                            VALEU 1001!

Nenhum comentário:

Postar um comentário